quarta-feira, 17 de julho de 2013

Afazeres






AFAZERES


O dia nasce, impreterivelmente, desbancando o sono e o cansaço. Olho da janela e vejo que o quintal precisa ser varrido, e a grama, limpa. Os pássaros comeram todas as bananas, e a água dos colibris deve ser trocada.

Preparo o café, enquanto ligo o computador e checo meus e-mails. Logo depois, vou lá para fora, dar o lanchinho dos cães, o remédio, o bom dia. Carinho matinal. Tomo meu café, e nisso, chegam os pedreiros. 

Ligar para minha irmã, ver se ela está bem. Lavar a louça da preguiça noturna. Preparar o almoço, varrer a casa, fazer a cama. Roupas para passar... tudo de novo! Quanto mais as passo, mais a pilha cresce...

Bom dia ao vizinho; como ele está de saúde? Recupera-se? Sim, agora está tudo bem. Mais um dia. 

Devo limpar os armários da cozinha e espalhar neles alguns cravos, contra as formiguinhas. Não é que funciona mesmo? Coloquei dois no açucareiro, e os sucos e cafés ficam com um gostinho ao fundo... ainda bem que gosto de cravos. 

Muitos afazeres... toda uma semana deixada para trás, quando quase nada foi feito, limpo ou arrumado. Ainda preciso preparar a aula da noite. Encomendar a ração dos cães... Nossa, quanta poeira sobre a mesinha da sala! Vamos limpando!

Água. Sabão. Colocar os panos de limpeza de molho no alvejante. Sou - volto a ser - uma dona de casa. Meus tempos de heroína acabaram.



2 comentários:

  1. Excelente, Ana!
    Particularmente gosto de afazeres. Arejam minha mente e me desafiam.
    Meus parabéns!
    Está um excelente texto.

    ResponderExcluir

Sinta-se em casa para deixar um comentário, por favor. Espero que tenha gostado. Obrigada pela visita!