domingo, 8 de dezembro de 2013

Dias Úmidos

Vista da minha varanda; lá embaixo, os telhados do Orquidário Binot


Os telhados ainda estão úmidos de chuva. Os troncos das árvores tem aquela cor marrom-profunda, entrecortada por ranhuras verde-musgo aveludadas. O céu estende suas pesadas nuvens cinza-chumbo sobre a paisagem, como a mostrar o que ainda está por vir. Pássaros apressados servem-se das frutas que estão no comedouro, antes da chuva chegar.

De vez em quando, um vento repentino espalha o cheiro de terra molhada pelo ar. Aspiro sua refrescância, deixando-me envolver por seus dedos de gaze. Sob o gramado verde-claro, a terra preta e encharcada distribui sua fertilidade a cada fio de grama, a cada arbusto, a cada flor.

Correm fios dágua prateados sobre a superfície de pedra da montanha. Passa uma borboleta distraidamente, cruzando a jardim com seu vôo vacilante. Da mata fechada, mais umidade e silêncio.

Gosto de estar do lado de fora nestes dias cinzentos e úmidos, pois sinto-me mais viva e bem-disposta. O calor torna-me lânguida demais, exausta ao menor movimento. Nasci para o frio. Nasci para respirar este cheiro de terra molhada e musgo. Nasci para a escuridão de dias cinzentos como este. Certamente, aprecio a beleza de um dia de sol e céu azul, mas tiro minha energia do vento, das nuvens e da chuva. Secas demoradas deixam minha mente poeirenta e infértil, e meus movimentos áridos e lerdos.

Adoro encher os meus pulmões de ar fresco, úmido, com cheiro de terra e tronco molhados. Gosto de passar a mão sobre o musgo que cresce nos muros, e pisar descalça na grama macia e molhada. Gosto de acordar durante a noite e ver a lua-cheia semi-escondida entre nuvens pesadas e caprichosas.

Gosto da escuridão do inverno e dos dias curtos. Aprecio estar envolvida em cachecóis e agasalhos macios, ao andar pelas ruas varridas pelo vento gélido do inverno. Gosto de expor-me ao sol dos meses de junho e julho, que apenas aquece, sem fazer suar e sem deixar a pele avermelhada.

Hoje estou assim, introspectiva.



Um comentário:

  1. Oi Ana, tem gente que diz que o inverno é um período triste. Não acho, é um período aconchegante e as chuvas são lágrimas de Deus a nos abençoar.
    Lindo texto e muito bem escrito.
    Querida, desejo que você tenha muitas alegrias na sua vida. A alegria só brilha nos olhos de quem sabe curtir a emoção de simplesmente viver...
    Por isso viva com disposição e entusiasmo,
    realizando os seus sonhos e que este período natalino seja de harmonia e paz e se estenda para todo sempre.
    Uma linda noite e um amanhecer Il abençoado.
    Bjuss
    Lourdes Duarte
    http://professoralourdesduarte.blogspot.com.br/
    http://filosofandonavidaproflourdes.blogspot.com.br/


    ResponderExcluir

Sinta-se em casa para deixar um comentário, por favor. Espero que tenha gostado. Obrigada pela visita!