sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Momento Relax





Momento Relax


O jardineiro acaba de sair, deixando no ar aquele cheiro maravilhoso de grama cortada e terra revolvida. O dia foi lindo; o céu totalmente azul, e apesar do calor e do sol brilhante, uma brisa refrescante soprava.


Final de tarde; passarinhos indo dormir. Na mata em frente à casa, as cigarras se despendem de mais um dia de calor e sol, elevando seu canto cada vez mais alto, numa interação fremente que a muitos perturba, mas a mim, agrada completamente. Pouco a pouco, o canto vai silenciando, até que reste apenas uma cigarra, cuja voz vai fraquejando aos poucos, até silenciar por completo. Daí, começam os grilos, timidamente, com seus cri-cris estrelados sob as moitas.


Surge uma pequena estrela, e mais outra, e mais outra... de repente, o céu, que ainda guarda um tom avermelhado junto ao horizonte, torna-se um alegre forro azul-marinho com pequenas luzes pisca-pisca. 


Olho os canteiros, e percebo no rosto das flores um certo cansaço. Pego a mangueira, e regulando-lhe a ponta para que ela produza um chuveirinho, vou regando os canteiros. Passam algumas corujas, vaga-lumes, morcegos. Criaturinhas que preferem a noite.


O cheiro de terra molhada se eleva, misturando-se ao perfume dos incensos que queimam em minha varanda. Penso em minha mãe, e em seu velho cliché: "Quando molhamos as plantas, elas agradecem! Olha só para a flor, como parece estar mais 'durinha' e viçosa!"


E as flores, durinhas e viçosas, murmuram um agradecimento que chega aos meus ouvidos através de uma brisa.


2 comentários:

  1. Que delícia, Ana!
    Me fez lembrar da infância, varanda de vó, onde as coisas simples eram as mais importantes. Pude até sentir o cheirinho de mato depois da chuva...
    Esse papel do seu blog, tá lindo, muito delicado com pássaros e flores.

    Cliquei no seu perfil do google, na postagem sobre um poema A arte incerta do poeta - gostei muito do poema, mas pena não ter lugar para deixar um comentário pra ele. Fiquei imaginando as palavras indo e vindo e quando eram pra ser escritas, a inspiração já era.... e coloquei isso em vários momentos da vida. Acho que é assim com tudo que depende da criatividade: muitas vezes queremos, mas a dona do talento não aparece.... rsrs.
    Caso consiga falar com o poeta, mande meu abraço e parabéns pela poesia.

    Abração esmagador e um ano maravilhoso pra vc.

    ResponderExcluir
  2. Este é o seu blog que mais gosto... toda vez que aqui venho me sucinta recordaçoes de pequenos acontecimentos agradaveis... muito bom...

    ResponderExcluir

Sinta-se em casa para deixar um comentário, por favor. Espero que tenha gostado. Obrigada pela visita!