segunda-feira, 31 de março de 2014

Casa aos Domingos




Antigamente, a casa aos domingos ficava cheia. Era dia de macarronada com purê de batatas, molho de carne moída bem grosso e vermelho, refrigerante... enfim, tudo o que não se deve comer, mas eu não engordava. A gente às vezes colocava a mesa lá fora. Havia música. 

À noite, a melancolia daquela velha vinheta do Fantástico, que até hoje nos persegue.

Mas o tempo modifica as pessoas, afastando-as. As urgências que a vida impõe fazem com que hoje, a casa esteja silenciosa aos domingos. Mas há o jardim, a natureza, e o prazer de descobrir a beleza do silêncio e da quietude. Há as lembranças dos tempos felizes que vivemos - graças a Deus, temos muitos bons momentos a lembrar! E ainda superando tantas coisas que nos aconteceram nos últimos anos, respiramos fundo o ar da nova casa que hoje construímos em  nossas mentes e corações.



Um comentário:

  1. A vida tem diversas fases, boas e difíceis... Creio, que devemos viver cada momento mantendo no coração a esperança que um dia só a felicidade irá nos visitar.
    Beijos,
    Élys.

    ResponderExcluir

Sinta-se em casa para deixar um comentário, por favor. Espero que tenha gostado. Obrigada pela visita!