sexta-feira, 18 de abril de 2014

De Manhã





Acordar, tomar banho e aprontar-me para receber meus primeiros alunos. Antes, há pequenos rituais: chegar até a varanda do segundo andar e olhar o tempo, nem que seja por um ou dois minutos. Há um pássaro que sempre pousa no galho mais alto, na pontinha de um pinheiro. A neblina ainda se desfaz no cume das montanhas, chova ou faça sol. Digo uma pequena prece de agradecimento e peço proteção para começar o dia. Penso nos meus mortos e nos meus vivos. Quero que o dia que começa seja melhor do que o anterior, para mim e para eles.

 Depois, desço para preparar o café da manhã, brincar com minha cadelinha, abrir as janelas e portas... às vezes, um incenso. Às vezes, escrevo.

Às sete ou oito horas da manhã,  toca a campainha: meu primeiro aluno. Gosto de trabalhar em casa. 

Quando eles vão embora, faço uma caminhada de uma hora, quando não está chovendo. Após o almoço, a tarde voa... cuido de algumas tarefas caseiras. Escrevo e leio. Preparo as aulas do comecinho da noite, que terminam às oito ou nove horas. Quando sai o último aluno, eu e meu marido vamos caminhar com nossa cadela. Depois, jantar, assistir um pouco de TV e descansar para o dia seguinte.

Eu gosto da minha rotina. Meu dia passa rápido, a semana corre... acho que as pequenas tarefas do dia dão-nos dimensão e perspectiva. Executá-las ajuda-me a estar ciente do meu lugar neste mundo. É um lugar pequeno, mas me cabe inteira.


2 comentários:

  1. Vc vive tranquilamente... essa paz nao tem preço...

    Beijos...

    ResponderExcluir
  2. Poder executar com orgulho é maravilhoso, feliz Páscoa.
    Beijo Lisette.

    ResponderExcluir

Sinta-se em casa para deixar um comentário, por favor. Espero que tenha gostado. Obrigada pela visita!