sábado, 18 de outubro de 2014

Planeta Água?




Desde pequena, ouço dizer que o nosso planeta - a nossa casa - é formada de mais de 71 por cento de água.

Eu me pergunto de este índice foi recentemente revisto. Tudo o que vemos por aí, são secas, e secas e secas. E queimadas. Estamos tratando muito mal o nosso planeta, e as consequências já se fazem notar: cada vez mais, há menos água no Planeta Água!

Moro nesta casa há dez anos, e quando viemos para cá, havia água em abundância provida por duas minas, que até hoje, abastecem todas as casas por aqui. Em minha garagem há duas torneiras - uma de cada mina - e uma mangueira, com a qual eu costumava regar o jardim quase toda noite ou tarde. Sempre jorrava água de ambas as torneiras, e nas raras ocasiões em que havia um período de estiagem, pelo menos em uma delas havia água.

Há meses não cai uma só gota de qualquer das torneiras. Há um fiozinho correndo de uma das minas que abastece o reservatório e é jogado por bomba para as caixas d'água que ficam no telhado, mas não tem pressão para chegar às torneiras. Há meses não tenho água para minhas plantas, e a grama está cada vez mais seca...

Vejo que o bambuzal em frente à casa está com suas folhas amarelecidas, assim como algumas das árvores. Quando molho os canteiros (usando um regador), a terra fica seca e farinhenta apenas uma ou duas horas após a rega. 

O Planeta Água está mudando, e ninguém percebe. Continuam pondo fogo às matas, matando várias espécies de animais e plantas, e contribuindo para que o ar fique irrespirável, a atmosfera, suja e poeirenta e as minas d'água, cada vez mais raras.

Em Petrópolis, à sombra de minha varanda, o termômetro marca trinta graus! Isso nunca aconteceu antes, em plena primavera!

Neste momento, sopra um vento quente que traz muitas folhas secas e resíduos de florestas queimadas. O sol queima forte, e o ar está translúcido de tanta fumaça e poluição. 

Rezo para que venham as chuvas e nos devolvam a água do Planeta Água.


4 comentários:

  1. O próprio homem destruindo sua casa. Triste, muito triste. Poesia que é um grito de socorro. Lindo fim de semana. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Muito triste tudo isso, Ana, aqui em sampa a situação não é diferente. Há queimadas espontâneas direto ali na cantareira e a represa já quase seca.
    O homem - principal responsável por toda essa mudança... só Deus pra nos ajudar e mandar chuvas torrenciais. Pq a primavera é chuva, é sol com dias amenos e fotossíntese. bj miga

    ResponderExcluir
  3. Situação ruim aqui também como colocou a Lu.
    Penso Ana, que esta situação é o grito derradeiro de alerta de que nosso planeta água está agonizando.
    Espero que toda essa mudança de atitudes a que a população ( nós ) fomos submetidos, fique como nova maneira de consumirmos a água, que políticas públicas continuem incentivando e ensinando novos hábitos e principalmente que nosso país acorde para a real necessidade de termos água de reuso.
    E na expectativa para que cheguem as chuvas. Florestas, áreas verdes, já tão poucas precisam sobreviver.
    beijo!

    ResponderExcluir
  4. Sabe amiga, eu chego a chorar diante dessas mudanças e do descaso geral. Por aqui, a superpopulação contribui cada vez mais pra isso. Cada um que chega pra construir em seu lotinho, derruba tudo e cimenta tudo. Não há verde e muitos ligam a mangueira pra lavar a calçada... Lembro que qdo era criança, minha bisa dizia que chegaria a época que o homem teria todo o dinheiro do mundo pra oferecer num copo de água e quem o tivesse seria a pessoa mais rica do mundo e, lógico, não o venderia.
    O governo por sua vez pensa somente em dinheiro e engana o povo que se faz de bobo, dizendo há 10 anos atrás que não era necessário racionamento. Hoje, as represas estão secas, o ar tá seco, a população continua se fazendo de desentendida e o governo diz que não é tão sério assim.
    Sem água, não teremos vida.
    Oro para que nossos líderes tenham escrúpulos e mudem essa realidade.

    Boa semana, abração.

    ResponderExcluir

Sinta-se em casa para deixar um comentário, por favor. Espero que tenha gostado. Obrigada pela visita!