segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Sozinha em Casa - Uma reflexão






Sei de pessoas que tem muito medo de ficarem sozinhas em casa. Elas temem que algum ladrão possa entrar, ou que ocorra algum problema com o qual elas não consigam lidar. Mas a maioria das pessoas que temem ficar sozinhas em casa, na verdade tem medo de estarem em sua própria companhia.
Sozinhos em casa, principalmente quando não há tarefas a realizar, nós temos tempo demais. Podemos começar a pensar em coisas que normalmente não pensamos. Podemos analisar as nossas vidas, erros e acertos, arrependimentos e desejos não cumpridos, sonhos desfeitos, sonhos que ainda vivem em algum lugar da alma, adormecidos, mas que nos recusamos a despertar.

Os espelhos parecem multiplicar-se. De repente, podemos nos ver diante daquele grande espelho do quarto e prestar atenção à passagem do tempo. Você já ficou nua diante do espelho, diante dos próprios olhos, olhando cada curva, cada pelo, cada grama de gordura que a idade trouxe? Eu já. O corpo marca muito bem a nossa história de vida. Não sinto vergonha do meu corpo, embora ele já tenha tido dias bem melhores; Meu corpo torna possível que eu esteja aqui.

Sozinhos em casa, podemos abrir o armário de livros antigos e percorrer suas páginas devagar, recordando leituras e estados da alma dos tempos em que lemos tais livros. Às vezes nos lembramos do momento em que foram comprados - nosso contexto de vida então - e do porquê nós os compramos. Um livro pode ser um mergulho fundo na alma, no território das lembranças e vivências.

Sozinhos em casa, nós percorremos os cômodos e nos lembramos de que eles precisam de pintura, ou quem sabe, de uma arrumação mais elaborada; enquanto andamos pelos cômodos vazios de pessoas, nós nos lembramos daquelas pessoas que gostaríamos que estivessem por ali com a gente, naquele exato momento, e do porquê de elas não estarem - estão mortas? Afastaram-se por algum motivo, ou sem motivo algum?

Quando eu estou sozinha em casa, sem nada para fazer - como hoje - gosto de ler, escrever, ficar lá fora no jardim com meus cães, sentada na grama jogando bolinha para eles pegarem. Também dou uma percorrida nos canteiros e vejo como estão as minhas plantinhas. Se o tempo está ruim, pego o livro de receitas e vou para a cozinha. Ou então ligo a TV e escolho um bom filme ou programa. Quando não está quente demais, saio para dar uma volta à pé pelo bairro, visito o orquidário e escolho algumas orquídeas para enfeitar a casa. Meu tempo sozinha é sempre agradável. Gosto da minha própria companhia. Adoro relaxar, e fico muito bem quando eu estou sozinha em casa.

E você? Como se sente ao estar sozinha em sua própria casa?


3 comentários:

  1. Oi Ana! Eu amo ficar sozinha em casa. Adoro minha companhia também, falo sozinha, ouço as músicas que gosto, leio, cuido das minhas plantas, faço bijouterias... Ahhh, eu acho ótimo esses momentos!

    ResponderExcluir
  2. Bom, eu gosto de ficar sozinha, principalmente quando estou down, como hoje por exemplo... E por coincidência estou sozinha.
    Tenho bastante coisa pra fazer, se for ver, o serviço de casa nos assombra todos os dias, mas dentro dele sempre acho algo que me anima e que gosto de fazer. Pensei também continuar uma história que já vem desde 2008 kkk que se arrasta, mas que promete (assim espero). Fazendo almoço agora... Hehehe Bacios Ana!

    ResponderExcluir
  3. Oi Ana, nunca gostei de estar sozinha em casa. Mas aprendi, depois de ter a oportunidade de me conhecer, quando fiquei sozinha. agradeço muito a Deus, a chance que me deu. Em casa, meu mundo é muito maior, tenho muita coisa pra fazer e tudo que me dá prazer.
    Em casa, fico à vontade no computador, viajando para onde eu quero, conversando com quem gosto é o meu universo e, também, meu aprendizado. Não há maior alegria, do que desfrutar da liberdade e se fazer o que se quer. Mesmo que não consiga consertar tudo que precisa, porque, aí é que esbarra no preconceito, mulher só é desacreditada, ou lhe cobram muito caro e não fazem nada direito, ou nem lhe atendem, com medo de prejuízo. Ana, apesar de todos os pesares, não tem nada melhor, que a nossa companhia. Agradeço e aproveito para falar que alguns comentários que fiz, sumiram, não sei porque não foram publicados, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir

Sinta-se em casa para deixar um comentário, por favor. Espero que tenha gostado. Obrigada pela visita!