quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Um Gambazinho


O gambázinho, minutos após ser encontrado



Era uma quinta-feira à noite, e ouvimos os cães latindo no quintal. Sempre recebemos visitas noturnas de morcegos, corujas, ouriços e gambás, portanto, não nos surpreendemos a princípio. Mas os latidos foram aumentando e tornando-se mais ferozes, e então fomos lá fora ver o que estava acontecendo:

Em cima do muro, um gambá caminhava lentamente, e pendurados em seu corpo, os seus filhotes. Estava escuro e não conseguimos ver quantos eram, mas um deles desprendeu-se de repente e ficou preso na hera do muro. Antes que desse tempo de fazermos qualquer coisa, minha cadela Leona deu um pulo alto e o abocanhou. Aos gritos, meu marido conseguiu fazer com que ela o largasse. Fechamos o portão do canil, islolando os cães do lado de fora, mas o bebê gambá, assustado, entrou por um dos tijolos furados do muro e desapareceu lá dentro. Ainda ficamos lá algum tempo esperando que ele saísse, mas após quase uma hora, concluimos que ele tinha ido embora caminhando por dentro do muro, e entramos, colocando os cães novamente no canil.

De manhã cedo, cheguei da sacada da minha varanda e, ao olhar lá para baixo, vi um corpinho imóvel e todo molhado, caído na escada. Exclamei: "Ah, não!" Desci as escadas desanimada, pois tinha certeza absoluta de que o bebê gambá estaria morto, mas para minha surpresa, ele estava respirando. Peguei um pano na área de serviço, e ao tocá-lo, ele abriu os olhinhos e fez aquele som característico dos gambás.

Ele era bem pequeno; tinha mais ou menos o tamanho de um rato comum. Com cuidado, embrulhei-o no pano e verifiquei se estava ferido. Tinha um pequeno corte em uma das patinhas, nada sério, mas o restante do corpo estava normal. Enxuguei-o cuidadosamente, e coloquei-o em uma caixa, enrolado em um paninho de lã. Ele se aconchegou, enrolando-se a ele, e dormiu.

Corri para o Google: o que come um gambá? Leite com mel e gema de ovo. Bananas e maçã picada. Insetos. Bem, descartei a última parte... "Encontre uma entidade responsável para resgatar o animal." Tentei, durante horas, mas ninguém atendeu minha ligação. Suspirei e fui para a cozinha. Consegui uma seringa descartável no banheiro, descartando a agulha, e enchi-a com a mistura. Ao chegar perto dele, segurando-o todo enroladinho na palma da minha mão, o bebê rosnou para mim, baixando as orelhas. Mas forcei um pouquinho, e ele abriu a boca, sugando o líquido da seringa. A cada duas horas, o processo se repetia, às vezes sendo substituído por banana amassada. Ele não gostou de maçã. 

Lembrei-me de outros filhotes que apareceram em outras ocasiões, e não consegui salvar, apesar dos meus cuidados: uma rolinha. Um sabiá. Duraram apenas um dia, e depois morreram. Olhei para o filhote em minhas mãos - que já estava acostumado comigo e nem rosnava mais, apenas abria a boca quando me via, esperando comida. Pensei: "O que eu vou fazer com você? O que vou fazer com um gambá?" Cocei a barriga dele, como havia aprendido no Google, a fim de estimular suas funções excretoras, e ele enroscou a cauda em meu dedo e dormiu.

Mais tarde, peguei um ursinho de pelúcia e coloquei-o na caixa, para que ele pensasse que era a mãe. Ele se aconchegou todo no ursinho, indo descansar sob o braço dele.

Minha única esperança seria tentar devolvê-lo à mãe, e à noite, quando meu marido chegou, alimentei o gambá pela última vez e entreguei-lhe esta missão, pois precisava ir dormir para acordar muito cedo no dia seguinte. Às duas da manhã, escutei meu marido abrindo a porta do quarto:

-A mãe apareceu! Eu o soltei em cima do muro, e ele foi atrás dela. Não sei se eles se encontraram, mas foi a melhor coisa que pudemos fazer por ele...

Pensei que só nos restava torcer para que mãe e bebê pudessem ter se encontrado.

De manhã, ao ver a caixinha do gambá vazia, senti uma certa melancolia...



4 comentários:

  1. Que atitude linda Ana!
    Um abraço e muitos dias felizes sempre.

    ResponderExcluir
  2. Fico feliz em conhecer gente como você .
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Fico feliz em conhecer gente como você .
    Beijos

    ResponderExcluir

Sinta-se em casa para deixar um comentário, por favor. Espero que tenha gostado. Obrigada pela visita!