sábado, 18 de março de 2017

Poema de Lúcia Constantino - A Casa do Sol Poente






Hoje, trago um poema de minha amiga no Recanto das Letras e no Facebook, Lúcia Constantino, que muito me encanta:




A casa do Sol Poente

Tudo dorme na casa vazia.
As cartas nas gavetas,
os livros empoeirados nas estantes.
O passado passeia pela casa,
como eterno visitante.

De repente, saltam dos espelhos delírios e sorrisos.
Os sonhos em trajes de graça.
Tudo que permaneceu vivo
e o que nunca chegou na vida que passa.

Desperta a casa.
Despertam  vozes vivas,
orações,  acalantos, 
as lágrimas de tantos.
Também  estrelas nas vidraças dissolvidas
pelos ventos dos desencantos.

De frente para o sol poente,
fortaleza como uma grande árvore
a casa ousa sua solidão de gente:
- sonha em ser ninho nos fins de tarde.




4 comentários:

  1. Ana, uma honra estar neste seu Blog lindo, inteligente, criativo, inspiradíssimo! Uma grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. É a poeta que eu gostaria de ler, nos jardins do paraíso!
    Balbino

    ResponderExcluir
  3. Lindo demais Ana, gratidão pela partilha.
    Boa noite.

    ResponderExcluir

Sinta-se em casa para deixar um comentário, por favor. Espero que tenha gostado. Obrigada pela visita!